Arquivo da categoria: Artesanato

A cultura da tutela: um case

Padrão

Pessoal, preciso compartilhar com vocês algo curioso que tenho experimentado em minha loja – Vanessa Fontana Armarinhos e Artesanato – desde que criei o Clube do Livro. Aqui temos uma foto do projeto.

Clube do Livro - Armarinho & Artesanato

Faz uns dois meses que criei um modelo para deixar os livros disponíveis para as pessoas  terem acesso aos livros em frente a Loja. Até aí tudo bem… O Projeto está indo de vento em polpa, pois a comunidade tem colaborado com doações, livros vão e vem…histórias e experiências vão e vem…

Mas o curioso é a atitude das pessoas frente aos livros… Muitos entram com identidade na loja para fazer um cadastro ou algo que o valha… E, dizemos que não precisa… As pessoas insistem e dizem coisas assim:

  1. Mas a minha identidade está aqui…
  2. Meu nome é…
  3. Eu tenho comprovante de residência…
  4. Eu moro na rua tal…
  5. Quanto tempo eu tenho para ler…

livros

Nossa resposta, invariavelmente é: pode pegar o livro que você quiser… Mas como assim? As pessoas indagam… Na verdade elas querem um CONTROLE, um LIMITE que nós não damos…. as pessoas são livres para pegar, devolver, trocar, enfim…

Mas a ficha demora para cair… a experiência tem sido linda… pelo projeto estar indo bem e pela surpresa das pessoas pela nossa falta de controle…. ou diria liberdade, emancipação… cidadania… de fazer e de agir sem ninguém tutelá-lo…. é um simples livro, mas o significado da experiência tem ido muito além…

Anúncios

Arte com Ciência: Henry Kaminski

Padrão

Esse é o cara…meu grande professor e mestre de processo civil, excelente didática, equilibrado e melhor ainda, ciente dos limites epistemológicos dentro de uma sala de aula…Professor Henry Kaminski … vc me dá orgulho como aluna e professora.

Fiz p ele um porta cartão customizado… Arte com ciência!

Henry Kaminski

90 mil acessos! Muito obrigada

Padrão

Aos amigos e amigas que acompanham o meu Blog, AGRADEÇO a companhia, pois passamos dos 90 MIL ACESSOS. O Blog é um exercício e um compromisso do qual temos que cuidar, pois muitas das matérias que publiquei aqui tiveram repercussão em outras mídias o que aumenta a responsabilidade.

Muito obrigada!

90 MIL ACESSOS

90 MIL ACESSOS

 

Voltei..

Padrão

Voltei!

Vanessa Fontana, Cidade de Jacupiranga - SP

Vanessa Fontana, Cidade de Jacupiranga – SP

Bom, desculpa aos que acompanham o Blog da Vanessa,  o deixei no final de 2013 e o retomei agora. Viajei para diversas cidades do interior do Paraná e Santa Catarina o que me afastou um pouco do Blog também… pois o ato de escrever para o Blog é um compromisso sério, pois é necessária uma reflexão antes de publicar qualquer linha…

Ando em ritmo acelerado com as minhas atividades profissionais de professora e cientista política, bem como, agora de estudante! Como? Isso mesmo voltei para a sala de aula, mas agora como aluna de Direito… depois de uma longa trajetória acadêmica, a minha militância com a causa dos deficientes  e dos policiais militares, me impôs a necessidade constante de advogados. Isso me incentivou a ter coragem e disposição, do alto dos meus 40 anos e abaixo de morfina, leia-se sono,  a estudar outro campo de conhecimento para buscar a justiça num país como o nosso, só temos dois caminhos: a) ser milionária, o que não é o meu caso….; b) buscar a formação jurídica para fazer o bem.

O que me move é o sentimento de justiça; renda digna eu já tenho no Uninter como professora. O Curso de Direito é para fazer o que não fizeram por mim quando eu mais precisei e o que eu preciso fazer, para que, o Estado e demais instituições públicas e privadas, simplesmente cumpram a Lei e respeitem as pessoas em seus bens mais essenciais apresentados no artigo 5 da Constituição Federal.

Gente é isso, um excelente começo para nós

Grande abraço,

Vanessa Fontana

Blog da Vanessa Fontana em Porto Seguro: momento artesanato

Padrão

Estive na Bahia na  cidade de Porto Seguro.  De lá me dirige para Eunápolis  com o objetivo de ministrar palestra sobre o tema da Segurança Pública pelo Centro Universitário UNINTER. Como ainda não recebi as fotos do Evento, estou postando primeiramente a parte lúdica que foi a breve visita na cidade de Porto Seguro, sendo aqui o enfoque do artesanato.

Artesanato Local - Porto Seguro

Artesanato Local – Porto Seguro

No retorno de Eunápolis para Porto Seguro o simpático Valdomiro parou na estrada e fomos visitar um centro de artesanato local, onde aprendi uma técnica que há muito tentei descobrir sozinha…

Baiana Cangaceira, Vanessa Fontana, Valdomiro

Baiana Cangaceira, Vanessa Fontana, Valdomiro

Antes do retorno passei pelo Centro histórico de Porto Seguro  e óbvio aumentei a minha coleção.

Vanessa Fontana, a primeira Vila do Brasil.

Vanessa Fontana, a primeira Vila do Brasil.

Essa vila é a primeira do Brasil, o primeiro maior centro habitacional do mundo.

Na sequência eu com os meus ancestrais, nesse caso um índio Pataxó, o seu nome é Jaguatirica. Somos próximos, mas eu descendo na verdade dos índios Kaigang… o índio Pataxó não acreditou muito dada a minha cor próxima … mas é verdade.

Vanessa Fontana, Índio Pataxó.

Vanessa Fontana, Índio Pataxó.

Obviamente adquiri algumas peças do simpático Pataxó.

Pedra Fundamental que marca a posse de Portugal sobre o Brasil

Pedra Fundamental que marca a posse de Portugal sobre o Brasil

Na sequência o guia turístico me conduziu até a Pedra Fundamental. Foi um passeio curto, mas importante, pois só eu sei as barreiras que superei para chegar até ali, entre aviões, aeroportos, cadeiras de rodas… o mais importante é conseguir.

Cadeia Municipal e Igreja Porto Seguro

Cadeia Municipal e Igreja Porto Seguro

Por fim, não podia faltar a foto da Igreja, da Câmara Municipal e da Cadeia Pública.

Meus olhos Kaingang

Padrão

Trabalhei por quase 02 anos no Sesi-Paraná e hoje me deu uma saudade, quando vi essa foto que tirei na FIEP há alguns anos atrás. Essa franja me deixou para lá de japonesa.

SESI - PR, Vanessa Fontana

SESI – PR, Vanessa Fontana

Essa é a comprovação do meu pé na Ásia… rs mentirinha, é que sou descendente dos KAINGANG lá de Irati, Laranjeiras de Sul…. e por aí vai.  Meu bisavô um polonês que veio para o Brasil fugindo da II Guerra Mundial, casou com uma índia muito brava chamada Márcia Kaingang e virou Márcia Malicheski… daí vieram filhos miscigenados. E daí surgiram esses olhos puxadinhos.