Arquivo da categoria: Ciência Política

A crise e os trapalhões

Padrão

Retomando o blog… com a replicação de um post que fiz no facebook a respeito da crise que envolveu o Sr. Bebiano e o Clã Bolsonoro.

20190123_164557

Essa crise política, faz jus a um programa “os trapalhões”. Bebiano provou que conversou, Bolsonaro provou q é baixo clero ainda… Pois bem, q saiam os garotos e cheguem os adultos, pois precisamos de governo e estado laico. A ficha desse povo não caiu, isso q a oposição ainda nem precisou se manifestar. A qualidade do Executivo é péssima e pelo jeito a leva de parlamentares federais tb. Não temos políticos com liderança, com a palavra apenas o Senador Randolfe e pelo jeito o deputado federal Molon, que tenta acertar, olha o nível, pois esse parlamentar até ontem professava uma fé partidária.

Confesso q conversei com lideranças de alguns partidos aqui na terra dos pinheirais, com o intuito de ingressar num partido com as minhas bandeiras, lutas e história de vida, somar… Mas confesso ter encontrado algo pior que o vazio, encontrei mesquinharias, espíritos pequenos, individualistas, trapaças e também fofocas… cadê as pessoas de espírito público? Aceito apontamentos…

Anúncios

Divulgando: Pensando Hoje, um canal informativo

Padrão

Estou divulgando: Pensando Hoje, um canal informativo

https://www.youtube.com/channel/UCLWiWjhzmslNbTp_th8t7Fg

Pensando Hoje é um canal de informação criado, especialmente, aos universitários e para quem deseja ingressar em uma universidade. Ele traz reflexões e muitos conteúdos interessantes para contribuir com as pessoas que ainda têm dúvidas sobre a escolha do curso universitário.

Com o foco voltado em ajudar os visitantes, ele vem se destacando no nicho. Hoje já soma mais de 400 vídeos postados e possui mais de 11 mil inscritos e quase 2 milhões de visualizações.

O que o canal Pensando Hoje oferece?

Apresentado pelo Youtuber Rodrigo Conceição, Pensando Hoje é um canal que trata de assuntos sobre vários nichos, como: financeiros, EAD, áreas específicas, assuntos acadêmicos em geral, entre outros.

Além desses, também contribui com o consumidor, sanando dúvidas e ajudando-os sobre seguradoras de carro, lojas e criação de sites.

Ao acessá-lo, os internautas terão acesso a vídeos que visam contribuir com seus conhecimentos e também sanar dúvidas sobre qual universidade escolher, entre outras coisas, como:

* Lista das piores faculdades de EAD, conforme o site Reclame Aqui.

* Como calcular a média do ENEM.

* O que cai na matéria do ENEM em matérias específicas.

* Vídeos informativos e individuais sobre cada universidade.

* Dúvidas gerais sobre a faculdade EAD.

* E muitos vídeos sobre a UNINTER (cursos variados, como funciona, para que serve, diploma, provas, entre outros).

* E muito mais.

Com muitos seguidores, o Pensado Hoje é avaliado como um excelente canal para contribuir com os internautas em diferentes aspectos. Muitos deles elogiam o canal como sendo de grande ajuda.

Prova disso são as participações dos inscritos ou não no canal que, além dos elogios, também confiam no Youtuber para falar sobre diferentes assuntos e assim, sanar suas dúvidas e aumentar seus conhecimentos.

Cada um de seus vídeos conta com muitas participações, inclusive do próprio Rodrigo Conceição que faz questão de interagir com seu público nos comentários.

Portanto, quem deseja tirar dúvidas ou obter informações sobre qual universidade escolher, como funciona o EAD, detalhes sobre determinados cursos universitários, dicas para o ENEM, informações sobre seguradoras de carro, como criar um site, vídeos relacionados à saúde, dicas sobre provas e TCC, entre vários outros assuntos, o canal Pensando Hoje é o link certo!

Internautas estão cada vez mais buscando sites informativos

A internet é de grande ajuda para sanar diferentes dúvidas, sejam elas sobre saúde, cursos, moda, filhos e até política, além de outras. O canal Pensando Hoje é um exemplo de canal, onde os internautas podem não apenas saná-las, mas também participar com o Youtuber Rodrigo Conceição.

E é esse o diferencial que sites e blogs estão oferecendo aos seus visitantes: a interação. Dificilmente os internautas vão conseguir solicitar ajuda aos donos de sites e blogs, estando eles “ao vivo”.

Porém, muitos canais e sites de vários nichos disponibilizam da opção “comentários”, em que eles deixam suas participações e em breve recebem um retorno dos responsáveis pelo site.

Esse é um exemplo que a maioria dos sites segue, a exemplo o canal Pensando Hoje e o este blog, dividido em assuntos relacionados a direito, política, ciência política e artesanato. Com intuito de levar informação aos visitantes por meio de discussões, inclusive, com profissionais da saúde, hospitais, médicos, INSS e advogados.

Levar informação, disponibilizar dicas, entre outras coisas relacionadas em ajudar os internautas, é o que chama a atenção no universo online. Cada vez mais as pessoas buscam por conteúdos que agreguem valor ao seu dia a dia e poder contar com sites participativos, como é o caso do YouTube, blogs e sites em geral, é o que tem atraído cada vez mais pessoas de perfis variados.

Prof. Pedro Magalhães Ganem comenta a Lei 13.546/2017

Padrão

Segue excelente publicação do Professor e Jurista Pedro Magalhães Ganem sobre a Lei 13.546/2017.

https://pedromaganem.com/2018/04/18/homicidio-culposo-na-direcao-de-veiculo-automotor-e-a-embriaguez/?subscribe=already#blog_subscription-3

Ética nos Tribunais

 

 

A única chance de Ratinho Júnior em 2018

Padrão

Bem-vindos à 2018. Ano político-eleitoral muito importante.

Ratinho Júnior

E, cá na Terra do Matte Leão, o tempo não está propício para Ratinho Júnior  (Carlos Massa Júnior). Ratinho entrou para o governo de Beto Richa, aparentemente com o compromisso político de ser o próximo governador contando com o apoio de Beto Richa. Mas apareceu a vice-governadora no páreo e o jogo ficou conturbado. Os Barros entraram com tudo nessa disputa e será muito difícil para Ratinho.

Cida Alborghetti sairá com o apoio para eleição do Governador e toda a máquina estatal e Ratinho fica assim inviabilizado como candidato a Governador.

Algumas questões:

  1. Como não contar com o apoio de Beto Richa?
  2. Como enfrentar a quase Governadora?
  3. Como enfrentar o Ministro da Saúde?
  4. Como explicar para o eleitor essas contradições?

O único caminho que resta para ele é como VICE GOVERNADOR da poderosa Cida Alborghetti, se ela o quiser, senão candidatar-se a um cargo proporcional. Assim, a chance dele será  se desenhar como Governador na próxima.

A frase trauma de Ratinho é: há Barros no meio do caminho….

 

 

Biblioteca Pública do Paraná nega acessibilidade

Padrão

Pois bem, é a terceira vez que desisto de entrar na biblioteca pública, pois não há rampa de acesso de quem vem da Ébano Pereira para a biblioteca. Eu teria que andar mais uns 600 metros para acessar. Para quem anda de bengala em longas distâncias é muito difícil.

A foto demonstra que há espaço para construir uma rampa de acesso.

Por favor… consertem isso. De quem é a deficiência? Do gestor público ou minha?

Aliás vou notificá-los extrajudicialmente. Não precisa da assinatura de um advogado (a), mas se algum advogado (a) militante quiser assinar eu aceito.

Michael Sandel – O que é justiça?

Padrão

Realizei a leitura do livro de Michael J. Sandel – Justiça o que é fazer a coisa certa – com o intuito de responder as duas questões, a seguir apresentadas. Pois bem, quem é Michel Sandel? É filósofo e professor em Harvard, ministrou durante anos, e, ainda ministra, um curso denominado Justiça, freqüentado por mais de 15 mil alunos. Dada a popularidade esse curso virou uma série com 12 episódios e agora o livro, já um Best seller.

Livro Sandel

Como todo filósofo comprometido em retirar os “reles mortais”, isto é, nós que não somos filósofos, da zona de conforto, Sandel, apresenta grandes questões e discussões filosóficas de forma dividida. Primeiramente utiliza a “filosofia antiga” de Aristóteles, calcada na virtude, e, por outro lado, Kant e Rawls, representando a “filosofia moderna”, com fulcro na liberdade. Bom, essas duas palavras vão muito além de palavras, pois são conceitos que interferem em nossas vidas cotidianas, o tempo todo.

Então, o movimento interessante e inteligente de Sandel é o de trabalhar com “pequenos” dilemas da vida cotidiana e mostrar o quão profundo e filosófico eles são, daí a sagacidade do livro e o fato de ser tão procurado pelos jovens estudantes de Harvard. Como exemplo, jogar o trem sobre uma pessoa para salvar cinco pessoas, pode? – Qual é o valor da vida, que valores buscar: virtude ou liberdade?

O mote do livro é refletir sobre a justiça a partir de três óticas diferentes:

1) aumento do bem-estar;

2) respeito a liberdade; e

3) promoção da virtude.

Mas para tratar desses temas aparentemente prosaicos há dois problemas que conduzem a sua reflexão:

1)    Uma sociedade justa procura promover a virtude dos seus cidadãos?

2)    Ou a lei deveria ser neutra quanto às concepções concernentes à virtude, deixando os cidadãos livres para escolher por conta própria como qual é a melhor forma de viver?

Parece-nos que a chave para essas perguntas estão na página 323, quando ele desenha uma resposta: “(…) se uma sociedade justa requer um raciocínio conjunto sobre a vida boa, resta perguntar que tipo de discurso político nos conduziria nessa direção” (Sandel,  2016, p. 323 – grifo da autora).

Essa breve e leve discussão é para demonstrar o quanto esse livro é importante, pois a filosofia e os nossos “pequenos” dilemas não tem fronteiras, pois somos todos humanos, americanos, mexicanos e brasileiros. Especialmente, quando Sandel mostra como chave para a construção de uma narrativa que nos devolva a humanidade passa pela política. Hoje, em termos de Brasil, precisamos muito alinhavar uma narrativa e colocar no eixo os grandes fios condutores de uma sociedade, pois o da nossa, está absolutamente descarrilado. E a reflexão nos leva a recondução desses rumos.

Então, não gostei, adorei o livro, pois ele nos leva a pensar sobre a sociedade que queremos e qual a base moral (filosófica) que conduz essa sociedade.

Como bem nos apresentou Sandel, não há uma receita de bolo. Mas o caminho certamente é o da reflexão, da dúvida, da incerteza e de que esse caminho é construído, não é dado, e obviamente não é hegemônico, pois se hegemônico, seria totalitário. Logo, cada sociedade, galga o seu. Fazer a coisa certa é realizar a mediação de vários valores e as conseqüências dessas decisões. Fazer a coisa certa sempre desagradará alguns e agradará a outros, pois não existe a coisa certa, existe a coisa a ser feita, e isso é mediado pela questão concreta.

A vida não é feita de certezas, mas sim de incertezas, é o tal do “equilíbrio instável” do grande antropólogo Lévi Strauss. E, a sociedade que não pára de repensar parece apresentar ganhos em termos de escolhas. É como pensar no processo, há partes, se há partes há olhares diferentes sobre o mesmo objeto, e a busca do equilíbrio parece ser a medida da razão, isto é, não ter medida. São sim, as sucessivas ponderações que fazemos no nosso dia a dia.

Daí a riqueza de nos incomodarmos com o que não é normal… pobreza não é normal… desigualdade exacerbada economicamente não é normal. Para finalizar fazer a coisa certa é ter a capacidade de indignação e a busca pelas respostas, como a banda Plebe Rude, nessa música, que é também filosófica, mas com outro ferramental, não menos importante, mas sim diferente:

(…) Com tanta riqueza por aí

Onde é que está cadê sua fração

Até quando esperar

Até que ajoelhar

Esperando a ajuda do Divino Deus (…).

Referências

MENEZES, Perseu Frazão de. Resenha, 03/04/2017. SANDEL, Michel J. Justiça: o que é fazer a coisa certa. Acesso em: 22/09/2017 Disponível em:

http://blogs.gazetaonline.com.br/lideres/2017/04/03/resenha-destaque-do-mes-de-fevereiro-justica-o-que-e-fazer-a-coisa-certa/

PLEBE RUDE. Até quando esperar. Álbum o concreto já rachou, 1985. Acesso em: 22/09/2017 Disponível em:  https://www.google.com.br/search?q=m%C3%BAsica+plebe+rude+at%C3%A9+quando+esperar&oq=m%C3%BAsica+plebe+ru&aqs=chrome.2.69i57j0l5.9409j0j8&sourceid=chrome&ie=UTF-8

SANDEL, Michel J.  Justiça: o que é fazer a coisa certa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.