Arquivo da categoria: Participação

Diogo Tavares em: Política na vida real

Padrão

image

O acadêmico do curso de ciência política do UNINTER, foi para Brasília conhecer e vivenciar um outro olhar sobre a Política.

image

Essa experiência inesquecível foi proporcionada por meio da indicação da deputada Federal Christiane Yared.

image

Anúncios

Entrevista com o Prof. Dr. Germano Afonso

Padrão

image

Ontem, 09 de Junho tive a feliz oportunidade de entrevistar para o Programa Vida Acadêmica do UNINTER o astrônomo e físico Professor Dr Germano Bruno Afonso. Ele apresentou a sua trajetória, a graduação em física, o mestrado e Doutorado e suas pesquisas como astrônomo. Atualmente, ele está trabalhando com a ETNOASTRONOMIA. Em breve, publicaremos a entrevista.

Wilson Picler sai do PDT e vai para o PEN

Padrão

Wilson Picler

Essa matéria é uma reflexão sobre a saída de Wilson Picler do PDT e a sua entrada no PEN, como Presidente.

O Prof. Wilson Picler (WP), certamente com sua inteligência e vivacidade ocupará o posto que quiser. Existem muitas diferenças entre o campo empresarial e a política, sendo indiscutível o bem que ele fez tanto na política como na educação.

Tenho certeza que o tempo apresentará as ingratidões históricas que WP viveu. No entanto, esse mundo político é pequeno para ele, em dois aspectos: 1) o primeiro é abstrato, mas é observável, sua inteligência; 2) o segundo é mais lúdico e representa o tamanho do seu coração, capaz de não caber, de tão grande, em seus quase dois metros de altura.

WP não ocupa qualquer lugar, ele já tem o seu lugar na história do Paraná: professor, empreendedor, ex-deputado federal, e sempre, acima de tudo, procurou fazer o bem. A sua fortuna tem origem e é ilibada, não procurou a vida pública para enriquecer, pois conquistou a partir do seu trabalho e do seu faro para o mercado.

Em seu mandato que durou 09 meses, criou e organizou diversas manifestações da sociedade, inclusive a dos Policiais e Bombeiros Militares, mediou conflitos, visitou autoridades para por fim a desacertos entre a base e o comando da PM. Conheceu os problemas dos municípios do Paraná, sugeriu e implantou soluções para o amadurecimento social, ou seja, EMPRESTOU A SUA INTELIGÊNCIA, para que o público funcionasse da melhor forma possível, fez tudo o que estava a sua alcance. Trouxe recursos para o Paraná, ou seja, fez o seu melhor.

Conheço mais de uma centena de pessoas que não tinham a mínima condição de estudar, e que ele mesmo nos momentos mais turbulentos da vida financeira do Brasil e da sua Instituição, ainda assim, da melhor forma possível deu suporte, sempre com a mesma frase, se a pessoa quer estudar… vamos dar um jeito para que isso aconteça. E quando ele diz que só temos uma saída, isto é, a educação, ele fez o impossível para que as pessoas pudessem estudar, fez e continua fazendo.

Para mim, WP tem um agudo senso de humanidade e é desprendido, pois nunca se furtou, mesmo sendo o Presidente de um Grande Grupo Educacional, de descer dois lances de escadas para poder conversar comigo….Atitude que as vezes falta a alguns colegas que perecem desse senso, coisa que WP tem e creio que nunca perderá, humanidade e o reconhecimento do outro.

Tenho certeza de que a sua saída foi profundamente refletida. E que venham novos voos, pois sorte da terra ou da água onde suas asas baterão.

Nota da sua saída do PDT:

Após uma intensa dedicação ao PDT de Curitiba e do Estado do Paraná, quando, durante sua gestão como Presidente do Diretório Municipal de Curitiba, ajudou a eleger o Prefeito da Capital, Picler refletiu profundamente sobre os caminhos que iria trilhar. Após um afastamento para repensar sua trajetória política, inclusive com a mudança de seu endereço eleitoral para Brasília, Wilson anunciou ontem seu desligamento do PDT. “Sinto-me preparado para novos desafios, tanto na Educação, para a qual tenho dedicado todo meu empenho e profissionalismo, por ter a convicção de que é a única solução para o nosso país; como, também, pretendo agregar uma nova agenda abrangendo o crescimento e o desenvolvimento sustentável e a preservação do meio-ambiente.

UNINTER sabatina candidatos ao Governo do Paraná

Padrão
Sabatina com os candidatos ao Governo do Paraná

Sabatina com os candidatos ao Governo do Paraná

Centro Universitário Uninter entrevista candidatos ao Governo do Estado

Sabatinas vão ao ar durante o mês de setembro no programa Café Com Gestão, da própria Instituição e em Parceria com a CWBTV:

Candidato

Data

1º Veiculação

Reprise

Bernardo Piloto

22/09

08:00 h

23:00h

Requião

23/09

08:00h

23:00h

Oggie Bucchi

24/09

08:00h

23:00h

Gleisi

25/09

08:00h

23:00h

 

O Programa Café com Gestão, em parceria com a Escola de Gestão Pública, Política e Jurídica do Grupo Uninter e o Curso de Comunicação Social – Jornalismo fará uma série especial de entrevistas com os principais candidatos ao Governo do Estado do Paraná.

Com o objetivo de estimular a participação da comunidade acadêmica no processo eleitoral, as perguntas serão feitas pelos alunos da Uninter e por meio da fanpage do programa Café com Gestão.

Temas como segurança pública, saúde, transporte público, meio ambiente, habitação e gestão urbana farão parte da sabatina que será mediada pelos professores doutores Doacir Gonçalves (Ciência Política) e Vanessa Fontana (Ciência Política) e a apresentação ficou por conta dos professores Elizeu Barroso Alves e Vanessa Estela Kotovicz Rolon. O programa contou ainda com a participação dos professores Rodrigo Berté e Audren Azolin, questionando os candidatos sobre meio ambiente e educação.

Os programas são gravados pela TV UNINTER e irão ao ar também pela TV Comunitária de Curitiba (canais 5 NET e 186 VIVO TVA /DIGITAL), via satélite pela  TV Uninter, pelo canal web da TV Comunitária e pela WEBTV Uninter. O mesmo conteúdo também será disponibilizado via Youtube um dia após a exibição pela TV.

Quem quiser acompanhar a sabatina pode consultar as mídias sociais do programa. No Facebook, o endereço é: facebook.com/programacafecomgestao e pelo canal do Youtoube é só procurar por: Programa Café com Gestão.

 Programa Café com Gestão – Série especial de entrevistas com os principais candidatos ao Governo do Estado do Paraná.

Data: 22 a 25 de setembro

Horário: 08h e 23h (REPRISE), pela TV Comunitária CWBTV, canal 5 NET e canal 186 VIVO TVA/Digital. Também pelo site http://www.cwbtv.net/.

Horários alternativos da programação de aulas EAD pela TV Uninter, via Satélite “Star One C2” canal CBED do Grupo Uninter, e também pelo canal WEBTV Uninter,http://webtv.grupouninter.com.br/.

Semana Nacional do Trânsito: a visão de Bernardo Pilotto

Padrão

Por

Bernardo Pilotto*

Trânsito: foco no indivíduo

Entre os dias 18 e 25 de setembro, acontece a Semana Nacional de Trânsito, que busca sensibilizar a população acerca da necessidade de diminuir a violência e as mortes que acontecem no trânsito. Nesses próximos dias, as ações dos órgãos Sistema Nacional de Trânsito estarão focadas em divulgar os dados acerca dos acidentes e mortes nas ruas e estradas, além de focar o debate nos pedestres, que são o tema da campanha neste ano.

Infelizmente, o debate sobre o trânsito e suas consequências ainda é muito individualizado: fala-se muito da imprudência e da necessária “direção defensiva”, sem fazer o debate sobre os aspectos estruturais do problema.

Na perspectiva estrutural, penso que alguns temas são fundamentais:

1) Melhoria nas estradas: a maior parte das estradas brasileiras é de pista simples. Nestas vias, para haver uma ultrapassagem, é preciso “invadir” a pista contrária, o que sempre é perigoso. Para diminuir os acidentes, é preciso duplicar as estradas, evitando os acidentes em ultrapassagem. Aonde não for possível, deve-se ao menos garantir a “terceira faixa”, que permite ultrapassagens seguras de tempos em tempos;

2) Investimento em transporte ferroviário: a ênfase em transporte rodoviário, com grandes caminhões transportando cargas muito pesadas, é causador de acidentes. Os caminhões lentos, em rodovias de pista simples, acabam incentivando ultrapassagens perigosas que acabam em acidentes. Para evitar isso, é fundamental voltar a investir em ferrovias para o transporte de grandes cargas. Isso só pode ser feito por um governo que não tenha recebido dinheiro do lobby da indústria automobilística durante a campanha eleitoral;

3) Transporte público: a precaridade dos ônibus, especialmente nas grandes cidades, somado aos incentivos fiscais (como o “IPI zero), fez com que grandes parcelas da população brasileira buscasse o transporte individual como solução. Essa situação gerou um trânsito caótico (e mais perigoso) nas grandes e médias cidades brasileiras. Para reverter isso, é fundamental investir em transporte público, com mais qualidade e menores tarifas. Desta forma os automóveis poderão voltar a ser chamados de “carros de passeio”;

4) Ciclomobilidade: nunca ouvi falar em mortes num acidente entre duas bicicletas. O investimento em ciclomobilidade certamente pode ajudar num trânsito mais seguro e menos violento.

Tudo indica que dificilmente os debates da Semana Nacional do Trânsito serão acerca das questões levantadas acima. Mais uma vez, o foco será individual, culpabilizando a cada um pelos acidentes. É necessário que a discussão acerca do trânsito avance para além das medidas individuais, pois só desta forma poderemos ter, de fato, uma redução do número de acidentes e mortes.

*Bernardo Pilotto é assistente administrativo do HC/UFPR e sociólogo formado pela UFPR. Atualmente, faz mestrado em Saúde Coletiva na Unifesp. Começou sua militância política no movimento estudantil da UFPR, onde foi diretor do DCE/UFPR por duas vezes e membro do Conselho Universitário. Em 2006, entrou no HC/UFPR como assistente administrativo e sempre participou dos movimentos de luta da categoria, sendo representante dos técnicos-administrativos no COUN/UFPR de 2009 a 2011. Em 2013, assumiu uma vaga como representante dos trabalhadores no Conselho Municipal de Saúde de Curitiba.

Foi fundador do PSOL – Partido Socialismo e Liberdade em 2004 e já fez parte de diversas instâncias do partido, em nível municipal, estadual e nacional. Atualmente é da coordenação doSetorial de Saúde do partido.

No dia 13 de abril de 2014, foi escolhido pela Conferência Eleitoral Estadual do PSOL do Paraná como pré-candidato ao governo do estado.

Eleições para que te quero… 2016

Padrão

 gleisi e fruet

Ontem, dia 10 de setembro de 2014, após a publicação da Pesquisa do DataFolha/RPC, refleti sobre o cenário para a Prefeitura de Curitiba em 2016.

Para o governo do Paraná o retrato momentâneo é:

Beto Richa (PSDB) – 39% para 44%
Roberto Requião (PMDB) – 33% para 28%
Gleisi Hoffmann (PT) – 11% para 10%
Ogier Buchi (PRP) – segue com 1% das intenções de voto
Bernardo Pilotto, dp (PSOL); Geonisio Marinho, do PRTB; Rodrigo Tomazini, do PSTU; e Tulio Bandeira, do PTC, não atingiram 1%.
votos brancos e nulos somam 5%.
indecisos 10%

Mediante esses números a possibilidade de segundo turno entre Beto Richa e Roberto Requião é forte. Aí é que está o embróglio. Se Gleisi Hoffmann ficar de fora do segundo turno e consequentemente fora do Palácio Iguaçu, sua próxima empreitada eleitoral será a disputa pela Prefeitura de Curitiba, já que a Senadora apresenta forte vocação para o Executivo.

Pensem bem, do lado de Beto Richa virá o Ratinho Jr., quiça, a Fernanda Richa, agora do lado do PT teremos a Gleisi, mas e como fica o Gustavo Fruet, que enfrenta pesquisas de bastidores nada animadoras. No entanto, Fruet tem feito campanha para a Gleisi…só há uma alternativa… vem ruptura por aí.

Voltando ao cenário estadual, a pesquisa DataFolha/RPC aqui apresentada foi realizada entre os dias 8 e 9 de setembro com 1.201 eleitores de 46 municípios. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos, e a confiança é de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná com o número 00031/2014, e no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR-00584/2014.

CONTROLE SOCIAL E COMBATE À CORRUPÇÃO*

Padrão

Por

Moacir Rodrigues de Oliveira

Chefe da CGU Paraná.

MECANISMOS DE DIFICULDADE PARA O CONTROLE DA CORRUPÇÃO

Brasil sem Corrupção

Brasil sem Corrupção

  • APARELHAMENTO DO ESTADO: Em geral quem pratica crime são os cargos comissionados ou de confiança. A CGU defende cargos técnicos.

 

  • EMENDA PARLAMENTAR: recursos que os parlamentares têm acesso e enviam para seu Estado de origem ou municípios.

 

  • FORO PRIVILEGIADO: Imunidade parlamentar ou impunidade parlamentar?

 

  • SIGILO: Fiscal, Bancário e Processual dificultam o combate à corrupção, o que eles defendem que quando a questão é de monta pública.

 

  • LEI PROCESSUAL BRASILEIRA: o crime compensa no Brasil? Essa lei precisa melhorada para atender a população. O transito em julgado, praticamente é indisponível no Brasil no sentido do número imenso de recursos existente no Brasil.

A lei de acesso à informação colabora no sentido de abrir o Estado para que exista transparência em todos os processos públicos. A lei de conflito de interesses também que são pessoas que tem acesso a informações privilegiadas pode ser usada para reverter esses casos.

As operações de controle são mecanismos para reprimir a corrupção por parte CGU. É importante que a CGU exerça a função de um avaliador de políticas públicas e não como um auditor. Por vezes a própria concepção da política pública dificulta a fiscalização. Uma das formas da CGU atuar, segundo o Sr. Moacir Rodrigues de Oliveira, chefe da CGU no Paraná é mobilizar a comunidade acadêmica por meio de debates e palestras acadêmicas, qualificar os conselheiros municipais, fazer acompanhamento em escolas eleitas para tal fim, hoje são 46 escolas no Paraná.

*A presente matéria é um resumo comentado de um ciclo de palestras ocorrido na UNIBRASIL, intitulado Controle Social e Combate à Corrupção.

Curitiba, 10 de setembro de 2014.