Arquivo da categoria: Política

Entrevista com o cientista político Leonardo Rocha

Padrão

image

Nessa semana gelada de Junho tive a oportunidade de entrevistar o cientista político Leonardo Rocha, no PROGRAMA VIDA ACADÊMICA, gravado nos estúdios do UNINTER. Ele apresentou suas pesquisas sobre partidos e as mídias sociais, isto é, o uso que os partidos tem feito dessas ferramentas durante o período eleitoral e também em períodos não eleitorais. A entrevista foi tão interessante que 30 minutos voaram. Em breve, publicaremos o link.

image

Anúncios

Entrevista com o Prof. Dr. Germano Afonso

Padrão

image

Ontem, 09 de Junho tive a feliz oportunidade de entrevistar para o Programa Vida Acadêmica do UNINTER o astrônomo e físico Professor Dr Germano Bruno Afonso. Ele apresentou a sua trajetória, a graduação em física, o mestrado e Doutorado e suas pesquisas como astrônomo. Atualmente, ele está trabalhando com a ETNOASTRONOMIA. Em breve, publicaremos a entrevista.

Deputado Federal Ivan Valente PSOL/SP

Padrão

Deputado Federal Ivan Valente PSOL/SP e Vanessa Fontana

Estive em Brasília, há duas semanas atrás, aproximadamente, e tive a feliz oportunidade de conhecer e conversar com o Deputado Federal Ivan Valente – PSOL/SP.

Admiro a sua postura combativo, forte, argumentativo e merece todo o reconhecimento pela sua postura no instauração da CPI da Petrobrás.

Deputado você Vossa Excelência é show! Tanto que estou pensando em me filiar ao PSOL, conversei inclusive com o amigo Bernardo Pilotto.

Thiago de Freitas – Presidente do PEN JOVEM

Padrão

Thiago de Freitas

O jovem cientista político e especialista em marketing político, Thiago de Freitas, 25, assumiu a Presidência da Juventude do PEN. Estive no Comitê em Curitiba e observei que a criação de diretórios vai de vento em polpa, bem como a criação da representação das secretarias que compõem um Partido.

Thiago de Freitas

O Partido ganhou força a partir da entrada do Wilson Picler.

Wilson Picler sai do PDT e vai para o PEN

Padrão

Wilson Picler

Essa matéria é uma reflexão sobre a saída de Wilson Picler do PDT e a sua entrada no PEN, como Presidente.

O Prof. Wilson Picler (WP), certamente com sua inteligência e vivacidade ocupará o posto que quiser. Existem muitas diferenças entre o campo empresarial e a política, sendo indiscutível o bem que ele fez tanto na política como na educação.

Tenho certeza que o tempo apresentará as ingratidões históricas que WP viveu. No entanto, esse mundo político é pequeno para ele, em dois aspectos: 1) o primeiro é abstrato, mas é observável, sua inteligência; 2) o segundo é mais lúdico e representa o tamanho do seu coração, capaz de não caber, de tão grande, em seus quase dois metros de altura.

WP não ocupa qualquer lugar, ele já tem o seu lugar na história do Paraná: professor, empreendedor, ex-deputado federal, e sempre, acima de tudo, procurou fazer o bem. A sua fortuna tem origem e é ilibada, não procurou a vida pública para enriquecer, pois conquistou a partir do seu trabalho e do seu faro para o mercado.

Em seu mandato que durou 09 meses, criou e organizou diversas manifestações da sociedade, inclusive a dos Policiais e Bombeiros Militares, mediou conflitos, visitou autoridades para por fim a desacertos entre a base e o comando da PM. Conheceu os problemas dos municípios do Paraná, sugeriu e implantou soluções para o amadurecimento social, ou seja, EMPRESTOU A SUA INTELIGÊNCIA, para que o público funcionasse da melhor forma possível, fez tudo o que estava a sua alcance. Trouxe recursos para o Paraná, ou seja, fez o seu melhor.

Conheço mais de uma centena de pessoas que não tinham a mínima condição de estudar, e que ele mesmo nos momentos mais turbulentos da vida financeira do Brasil e da sua Instituição, ainda assim, da melhor forma possível deu suporte, sempre com a mesma frase, se a pessoa quer estudar… vamos dar um jeito para que isso aconteça. E quando ele diz que só temos uma saída, isto é, a educação, ele fez o impossível para que as pessoas pudessem estudar, fez e continua fazendo.

Para mim, WP tem um agudo senso de humanidade e é desprendido, pois nunca se furtou, mesmo sendo o Presidente de um Grande Grupo Educacional, de descer dois lances de escadas para poder conversar comigo….Atitude que as vezes falta a alguns colegas que perecem desse senso, coisa que WP tem e creio que nunca perderá, humanidade e o reconhecimento do outro.

Tenho certeza de que a sua saída foi profundamente refletida. E que venham novos voos, pois sorte da terra ou da água onde suas asas baterão.

Nota da sua saída do PDT:

Após uma intensa dedicação ao PDT de Curitiba e do Estado do Paraná, quando, durante sua gestão como Presidente do Diretório Municipal de Curitiba, ajudou a eleger o Prefeito da Capital, Picler refletiu profundamente sobre os caminhos que iria trilhar. Após um afastamento para repensar sua trajetória política, inclusive com a mudança de seu endereço eleitoral para Brasília, Wilson anunciou ontem seu desligamento do PDT. “Sinto-me preparado para novos desafios, tanto na Educação, para a qual tenho dedicado todo meu empenho e profissionalismo, por ter a convicção de que é a única solução para o nosso país; como, também, pretendo agregar uma nova agenda abrangendo o crescimento e o desenvolvimento sustentável e a preservação do meio-ambiente.

Duas mulheres do Paraná na Câmara Federal: Christiane Yared e Leandre

Padrão
Do Paraná, as deputadas federais Christiane Yared e Leandre.

Deputadas da Câmara Federal. Do Paraná, as Deputadas federais Christiane Yared (PTN) e Leandre (PV).

A Secretaria da Mulher da Câmara Federal reuniu a Nova Bancada Feminina no início da nova Legislatura, dos 513 deputados, 51 são mulheres. No Paraná, temos duas representantes. A Deputada Federal mais votada, com mais de 200 mil votos, Christiane Yared – PTN, e a Deputada Leandre – PV.  No cenário nacional, São Paulo e Rio de Janeiro, empatados, lideram com o maior número de mulheres eleitas, ambos com seis representantes. O Estado de Minas Gerais conta com 5 deputadas, alguns Estados não tiveram uma única mulher eleita.

Christiane Yared e Leandre Dal Ponte

No caso do Paraná, ainda é um número baixíssimo a presença das mulheres no cenário nacional, é preciso que os Partidos Políticos retrabalhem essa questão. Mas contamos com a qualidade das duas recém eleitas, pois ambas encaram o seu primeiro mandato.

Deputada Federal Christiane Yared

christiane yared-1-3

Deputada Federal Leandre Dal Ponte

Leandre Dal Ponte

 

CONTROLE SOCIAL E COMBATE À CORRUPÇÃO*

Padrão

Por

Moacir Rodrigues de Oliveira

Chefe da CGU Paraná.

MECANISMOS DE DIFICULDADE PARA O CONTROLE DA CORRUPÇÃO

Brasil sem Corrupção

Brasil sem Corrupção

  • APARELHAMENTO DO ESTADO: Em geral quem pratica crime são os cargos comissionados ou de confiança. A CGU defende cargos técnicos.

 

  • EMENDA PARLAMENTAR: recursos que os parlamentares têm acesso e enviam para seu Estado de origem ou municípios.

 

  • FORO PRIVILEGIADO: Imunidade parlamentar ou impunidade parlamentar?

 

  • SIGILO: Fiscal, Bancário e Processual dificultam o combate à corrupção, o que eles defendem que quando a questão é de monta pública.

 

  • LEI PROCESSUAL BRASILEIRA: o crime compensa no Brasil? Essa lei precisa melhorada para atender a população. O transito em julgado, praticamente é indisponível no Brasil no sentido do número imenso de recursos existente no Brasil.

A lei de acesso à informação colabora no sentido de abrir o Estado para que exista transparência em todos os processos públicos. A lei de conflito de interesses também que são pessoas que tem acesso a informações privilegiadas pode ser usada para reverter esses casos.

As operações de controle são mecanismos para reprimir a corrupção por parte CGU. É importante que a CGU exerça a função de um avaliador de políticas públicas e não como um auditor. Por vezes a própria concepção da política pública dificulta a fiscalização. Uma das formas da CGU atuar, segundo o Sr. Moacir Rodrigues de Oliveira, chefe da CGU no Paraná é mobilizar a comunidade acadêmica por meio de debates e palestras acadêmicas, qualificar os conselheiros municipais, fazer acompanhamento em escolas eleitas para tal fim, hoje são 46 escolas no Paraná.

*A presente matéria é um resumo comentado de um ciclo de palestras ocorrido na UNIBRASIL, intitulado Controle Social e Combate à Corrupção.

Curitiba, 10 de setembro de 2014.